Palavra do Pastor

Agendas e Escalas

CLIQUE AQUI PARA ESCALA

Diretoria - 2016

 

Facebook

As consequências de não trabalharmos com os talentos

 

“Mas, chegando também o que recebera um talento, disse: Senhor, eu conhecia-te, que és um homem duro, que ceifas onde não semeaste e ajuntas onde não espalhaste; E, atemorizado, escondi na terra o teu talento; aqui tens o que é teu. Respondendo, porém, o seu senhor, disse-lhe: Mau e negligente servo; sabias que ceifo onde não semeei e ajunto onde não espalhei? Devias então ter dado o meu dinheiro aos banqueiros e, quando eu viesse, receberia o meu com os juros. Tirai-lhe pois o talento, e dai-o ao que tem os dez talentos. Porque a qualquer que tiver será dado, e terá em abundância; mas ao que não tiver até o que tem ser-lhe-á tirado. Lançai, pois, o servo inútil nas trevas exteriores; ali haverá pranto e ranger de dentes”. Mateus 25:24-30

Quando eu li essa parábola contada pelo Senhor Jesus Cristo, um fato me chamou a atenção. Uma dura repreensão de um senhor destinada ao seu servo que ganhara um talento. Ora, o senhor o chamou de servo mau e negligente, e em outras palavras, relapso, omisso e desaplicado, pois menosprezara o talento que havia ganhado de seu superior.

A atitude medrosa e desleixada do servo trouxe consequências muito negativas para ele, tais como:

- Ele foi repreendido pelo seu senhor, uma forte repreensão;

- O talento que recebera o fora retirado e dado ao seu vizinho;

- Fora denominado como servo inútil; e inútil é aquilo que não tem utilidade alguma, não serve para nada. Logo, ele foi excluído do Reino de Deus e lançado no sofrimento eterno. E tudo proveniente de sua omissão.

Temos as nossas capacidades e limitações, todos. Mas o Senhor Jesus Cristo nos chama para participarmos da Sua Obra. Cada um é chamado de acordo com as suas capacidades, essa dadas também por Ele.  Alguns têm mais talentos, (cinco talentos), outros têm menos talentos, (dois talentos), contudo, o nosso Deus não faz distinção entre um e outro, mas considera o servo bom e fiel, aquele que valorizou o que recebera e não negligenciou a confiança nele depositada.

O Senhor Jesus espera de nós, que trabalhemos com dedicação à obra de Seu Reino para que os bons frutos sejam produzidos e com grande gozo Ele possa nos denominar servos úteis, bons e fiéis.